Neste post, vamos mostrar o que você precisa saber sobre câmbio de exportação, os tipos de pagamento, como funciona o processo, e por que esse é o momento certo para fazer isso.

Explicando brevemente, a exportação é a saída temporária ou definitiva de serviços ou produtos do país de origem, podendo ser de forma gratuita ou paga.

Embora o Brasil tenha um mercado interno considerável, exportar nesse momento torna-se cada vez mais uma decisão estratégica.

A percepção do cenário reúne diversos fatores, entre eles, a desvalorização do real. Segundo o levantamento da Austin Rating, o real foi uma das moedas que mais se desvalorizaram em relação ao dólar em 2020. 

Desse modo, as negociações de exportação tomam forma, pois o preço de produtos brasileiros se tornam mais competitivos. O que não se aplica tanto à importação, por exemplo, uma vez que o dólar opera em alta no Brasil.

Ao exportar, a empresa conquista também o mercado externo e obtém ganhos de competitividade, além de se diferenciar de outras marcas, pois o processo de exportação exige uma série de adequações quanto ao produto, preço, país para onde você irá exportar, documentações, formas de pagamento, entre outros.

Cambiais de exportação

Você sabe o que significa os cambiais de exportação? Ou, sabe como funciona o processo do câmbio de exportação? 

Os cambiais de exportação é um sistema feito para possibilitar operações financeiras entre companhias brasileiras e clientes de outros países. Por meio dele, você tem acesso a algumas opções de pagamento que podem ser intermediadas por um banco ou por uma corretora, autorizados a operar com moedas estrangeiras.

A transação se dá pela compra e venda de moedas estrangeiras e um contrato assinado. Vale lembrar que no Brasil não é permitida a livre circulação de moedas de outros países.

Se você deseja saber mais sobre exportação e importação, você pode acessar também o Guia de Comércio Exterior e Investimento disponibilizado pelo Governo Federal.

Tipos de pagamento em exportação

Carta de crédito

A Carta de crédito oferece segurança como método de pagamento para transações de exportação. Funciona da seguinte forma: o comprador faz a solicitação de uma carta de crédito com o banco ou a corretora, que vai requisitar e validar a documentação apresentada pelo exportador e importador.

Se a documentação estiver correta, o banco ou a corretora assumem a responsabilidade pela operação. Sendo assim, o exportador recebe o seu pagamento e o importador constitui uma espécie de dívida com a instituição financeira, como em um financiamento.

Cobrança documentária

A cobrança documentária já é gerada entre os bancos dos países que fizeram parte da operação de exportação. Embora você também consiga fazer essa transação por uma corretora, como a B&T.

O exportador remete a mercadoria para o país do comprador e entrega as documentações de embarque e a letra de câmbio à instituição financeira negociadora de câmbio no Brasil.

O seu negociador de câmbio no Brasil é o remetente e ele será responsável por enviar uma carta cobrança ao seu banco correspondente no exterior, o cobrador.

A instituição cobradora irá enviar os documentos ao importador após a efetuação do pagamento ou aceite do saque. Com os documentos liberados e aprovados, o importador pode então retirar sua mercadoria.

Outro ponto importante é que o processo pode envolver outras particularidades na forma de pagamento, se o importador irá escolher pagar à prazo, antecipado ou à vista. Veja o que cada uma significa logo abaixo:

  • Antecipado: antes do envio.
  • À vista: após o embarque da mercadoria.
  • A prazo: quando chega ao destino final.

Esses são alguns dos documentos mais importantes para a cobrança documentária: fatura comercial, conhecimento de embarque, certificado de origem (se necessário), packing list (romaneio), apólice de seguro internacional e outros certificados, se exigidos pelo importador.

Você também pode contar com a consultoria e atendimento da B&T Corretora, que pode te ajudar com toda a documentação.

Remessa direta

Quanto a remessa direta, o exportador acerta com o importador um prazo para a transação, coloca a mercadoria para embarcar, prepara e envia toda a documentação por meio de uma remessa postal.

Ao receber a documentação, incluindo a carga, o importador terá que procurar seu banco para realizar o pagamento estipulado na data. 

A operação não é a mais aconselhada caso seja a sua primeira vez exportando, pois não oferece muita segurança ao exportador. 

Isso se deve ao fato de que não há a intermediação de uma instituição financeira e o importador recebe a mercadoria antes do pagamento.

Se você precisa de um direcionamento para a operação mais segura para você e não quer perder dinheiro, a B&T, líder N 1º em operações de câmbio no Brasil, pode te ajudar com toda a operação.

Por que o banco é a pior opção para sua operação de exportação?

Uma corretora de câmbio atua com a compra e venda de moedas estrangeiras e realiza os trâmites de envio e recebimento de recursos tanto vindos do exterior quanto para o Brasil. 

A B&T Corretora tem como prioridade o câmbio, ao contrário do banco, onde o câmbio é apenas mais um serviço dentre vários outros, logo, ao escolher o banco para a sua operação de exportação, você não será a prioridade deles.

Assim, você não terá garantia de quando será atendido ou quando cairá o valor transferido. Fora que os bancos não possuem o mesmo expertise em câmbio, logo, eles cobram muitas tarifas para fazer uma transferência internacional. 

Se você faz a operação com a B&T Corretora, você economiza até 70% nos custos de remessa internacional, sendo muito melhor do que fazer pelo banco.

Quando você opta por fazer negócio sem o banco, conseguimos ter controle total sobre o valor do câmbio e do spread (diferença entre o preço de venda e compra do câmbio), permitindo maior negociação e consequentemente, podemos abaixar o preço, o que é mais vantajoso para você, cliente B&T.

Nós trabalhamos com os serviços de exportação e importação, câmbio para empréstimos externos, câmbio para financiamentos, câmbio comercial, entre outros. 

Tudo voltado ao segmento de câmbio, o que torna sua operação de exportação mais eficiente e com a garantia de não ter aquela dor de cabeça com a espera do banco.

No caso de corretoras, como a B&T, pode ser operado o valor de até 300.000 USD de uma vez. Se você precisar remeter um valor maior, não tem problema, pois a corretora consegue quebrar a remessa em valores menores e fazer o envio. 

Rapidez, facilidade, eficiência do serviço e ainda sem perder dinheiro. Bem melhor que banco.

Interessado em saber mais sobre a B&T? Entre agora em contato. 💚