Em termos gerais, de acordo com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), o investimento estrangeiro direto acontece quando empresas ou indivíduos no exterior decidem criar ou adquirir operações em outro país.

Quanto às empresas estrangeiras que pretendem entrar no país, a abertura de subsidiárias, por exemplo, não só ajudam o Brasil, como também permitem que os investidores encontrem um mercado consumidor crescente, mão de obra qualificada e matéria prima.

O Brasil é o país que mais recebe investimentos estrangeiros diretos na América Latina, o que é algo positivo para a economia do país. Neste post, iremos entender o que é e como funciona o investimento estrangeiro direto, assim como seus benefícios. 

O que é o Investimento Estrangeiro Direto (IED)?

O IED é o investimento de capitais estrangeiros movimentados principalmente entre empresas do exterior para o Brasil.

Esse tipo de investimento é responsável por gerar empregos, transferir conhecimento e tecnologia para o país, trazer melhorias de infraestrutura, de produtividade, do Produto Interno Bruto (PIB) e pode significar também o aumento do número de exportações

Como é um investimento de longo prazo, os recursos permanecem por mais tempo no país por ter uma característica perene, e logo, produz um melhor resultado para a economia do país, já que o investimento estrangeiro direto é duradouro, como seus efeitos. 

O processo pode envolver a criação de filiais e a parceria com empresas locais, o que é conhecido como joint ventures. A Apex-Brasil promove o conhecimento e o incentivo ao investimento em empresas brasileiras, e desde 2012, um dos seus projetos mais bem sucedidos têm sido o Programa de Apoio a Startups, com participação de diversas instituições, em conjunto da Associação Brasileira de Startups (ABStartups).

As startups recebem muita atenção pelo seu potencial de crescimento e empresas do exterior veem nelas a possibilidade de obterem lucros no futuro.

Como o IED funciona?

O valor acumulado em determinado período de investimentos estrangeiros diretos se chama estoque de investimento estrangeiro, sendo mensurado por setor e registrado em um relatório publicado pelo Banco Central do Brasil.

Dessa forma, o investimento estrangeiro direto é direcionado geralmente para as seguintes atividades:

  • Construções de novas instalações.
  • Aquisição de uma parcela da empresa e fusões entre empresas de países diferentes.
  • Abertura de filiais estrangeiras.
  • Empréstimos entre empresas de mesmo segmento.
  • Reinvestimento dos lucros alcançados em operações no exterior. 

Como receber um IED e o que é RDE-IED?

O recebimento de um investimento estrangeiro direto (IED) exige o conhecimento quanto a transferências de valores do exterior para o Brasil e o preenchimento correto do RDE-IED, que é o Registro Declaratório Eletrônico feito dentro da plataforma do Banco Central. 

Cada investimento estrangeiro direto pede um novo RDE-IED e deve ser feito com cuidado, já que o preenchimento incorreto pode acarretar em complicações com órgãos regulatórios.

Por ser algo complexo e envolver termos técnicos, o Banco Central permite que o preenchimento do RDE-IED seja realizado por outros indivíduos ou empresas contratadas em nome de outras companhias. A B&T, por exemplo, faz o RDE-IED e presta total suporte às empresas.

A B&T acompanha e edita os eventos necessários ao aumento ou redução de capital, conversão de dívidas em investimentos, remessas de dividendos, remessa de juros sobre capital próprio, incorporação, alienação de cotas ou ações, entre outros. 

Lembrando que antes de fazer o RDE-IED é necessário que você seja cadastrado no Sisbacen (Sistema de Informações do Banco Central). Caso você precise de suporte nesse sentido, também podemos ajudá-lo.

Melhor que banco

A B&T é autorizada pelo Banco Central e possui as melhores práticas do mercado de câmbio, possibilitando maior transparência, confiança e economia para as empresas e seus clientes.

Ao contrário do banco, na B&T você conta com o suporte da nossa consultoria quanto ao fluxo de caixa, gestão de ações necessárias e a prestação de orientação sobre o processo regulatório e tributário, com base nos normativos do Banco Central e Receita Federal.

O objetivo da Consultoria B&T é buscar soluções dentro do estabelecido pela legislação que garantam a redução de custos e maior eficiência para nossos clientes.

Além de ter o direcionamento que você precisa para o cumprimento das regulamentações quanto ao investimento estrangeiro direto (IED), estruturamos o processo de forma customizada para o seu negócio.

Chegou a hora de fazer negócios com quem realmente entende do assunto e pode ajudar você.

Quer saber mais sobre nossa consultoria? Entre agora em contato! 💚