Fundada no Rio de Janeiro, em 1993, a B&T nasceu do sonho de dois profissionais com larga experiência no mercado de câmbio que decidiram se associar e abrir uma corretora.  A proposta era facilitar as operações de câmbio e desburocratizar o que parecia complicado e custoso para milhares de clientes.

Hoje, 28 anos depois, a B&T, que desde o início investiu em tecnologia, parte para uma nova fase com um olhar ainda mais atento ao digital e à conectividade. Assim, surge uma nova proposta de marca com o nome B&T Câmbio.

Com um logo mais simples, sem serifas, com as bordas das letras arredondadas no lugar das antigas arestas, de forma a mostrar que sua operação também não precisa de nenhum empecilho, nenhuma interrupção ou burocracia desnecessária, agora, ela flui. O & ganha protagonismo e mostra movimento, a fluidez do dinheiro e das transações ao redor do mundo, característica base das operações de câmbio em um ambiente virtual. 

A partir deste momento, nosso novo logo irá aparecer em todos os nossos materiais e canais como redes sociais, blog, e-mail, aplicativos, websites, entre outras redes e meios de comunicação.

Nossa marca e logo refletem a representação da agilidade, confiabilidade e da desburocratização do câmbio, aspectos que fizeram da B&T uma instituição financeira reconhecida por seus clientes, pelo mercado e por órgãos regulatórios como o Banco Central e a Associação Brasileira de Câmbio (ABRACAM).

A B&T é a maior corretora de câmbio do Brasil com operação líder em volume transacionado, de acordo com o ranking do Banco Central (US$ 25,4 bilhões entre 2018 e 2020) e conta com uma rede de 200 lojas de câmbio espalhadas por todas as regiões do Brasil, próprias e de correspondentes.

Por meio da atuação em produtos e serviços de câmbio comercial e turismo, a empresa cobre 189 países e oferece soluções para pessoas físicas e jurídicas.

Desde 2015, também faz parte do Grupo B&T, formado por outras marcas como Europa Câmbio, B&T Global Consulting e B&T Consultoria, e está presente no Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e nos Estados Unidos, em Miami. 

Fatores que colaboraram para a B&T ter 13% de todo o volume primário de câmbio transacionado entre as corretoras, embora, por outro lado, ao longo da história, os bancos tradicionais são os centralizadores de mais de 90% das operações de câmbio comercial e turismo, o que reflete em um cenário onde uma fatia do mercado de câmbio se concentra na mão de algumas instituições financeiras em detrimento de outras, como as corretoras de câmbio. 

Pensando nisso, a B&T planeja uma grande campanha de mídia, propondo a desbancarização das operações de câmbio, pois entendemos que não são as corretoras os nossos concorrentes diretos, mas, na verdade, os bancos. Assim, nossa campanha direciona-se para uma revolução do mercado primário de câmbio, e a B&T pretende ser a líder deste movimento.

Em relação ao mercado primário, nos referimos a operações realizadas em posição própria, ou seja, efetuadas do início ao fim pela corretora, sem intermediação de bancos. Dessa forma, com o mote “Bem melhor que banco”, vamos mostrar como ao fazer uma operação totalmente pela corretora, você economiza em até 70% os custos de câmbio, considerando taxas, cotação e spread, não fica refém do horário bancário, possuindo conhecimento técnico para sua operação, já que a especialidade da B&T é o câmbio

Nesse sentido, no decorrer da campanha pretendemos mostrar como desbancarizar a operação de câmbio é a melhor escolha, apesar de pouco conhecida pelo público em geral. Com foco na audiência, as peças publicitárias têm seu lançamento a partir da segunda quinzena de agosto e vão estar presentes nas principais plataformas digitais e veículos de comunicação, assim como em canais tradicionais como Globo Internacional e aeroportos.

Logo, planejamos em cada ação conscientizar o público de como fazer negócio com a B&T, lançando o movimento de desbancarização do câmbio, que teve sua inspiração em outro movimento, a desbancarização no mercado de investimentos, iniciada pela XP. 

Cazou Vilela, CMO da B&T, planeja que os resultados durante os próximos meses organizem um novo panorama no mercado de câmbio. “Com a pandemia, um novo mercado de trabalho se abriu. As barreiras continentais caíram de vez e o anywhere office é uma realidade. Esperamos que tanto as pessoas físicas quanto os pequenos e médios empresários que hoje usam os bancos por falta de conhecimento ou comodismo entendam que existem opções muito mais baratas e inteligentes para suas demandas de câmbio. Alguns clientes relatam ter demorado mais de um mês para receber valores do exterior, enquanto aqui resolvemos tudo em até 24 horas, muitas vezes sem as pessoas precisarem sair de casa”, afirma.